Aborto, o problema é do bebê

Posted by Graciliano Santos | Posted in

0

Engraçado que essas mesmas pessoas defensoras das minorias, humanitariamente mais desenvolvidas, não enxergam a simplicidade da co-relação entre aborto e pena de morte. Todo elevado código moral humana se esvai quando é um feto? É foda esse acalento científico para a consciência de que até 3 meses não tem bronca, ele não sente nada... não é bem assim hein. Requintes de frieza haniballistica.
A questão que se deveria responder não é "porque não abortar?" e sim "porque se faz tanto aborto?". Mas é mais fácil trucidar a vida de alguém que nem nasceu que lidar com uma vasta problemática cultural, social e econômica de nosso Brasil.
Nossa educação pública é das piores possíveis, nossa economia não vai nada bem (faz tempo) e isso tudo reflete na cultura e culto exacerbado ao sexo e religião (escapes aparentemente opostos, mas com efeitos similares no massivo emburrecimento da população). Ambos não querem nem saber de falar sobre controle de natalidade e políticas nesse sentido, fazem o contrário. Qual a perspectiva se continuar assim? Naturalmente aumentar o número de abortos, legalizado ou não. Tenho certeza que o sistema público não vai dar conta e quem não tem grana pra pagar (maioria) vai continuar abortando nas piores condições.
Se essa bizarrice for aprovada, vale a pena virar médico especializado em aborto, porque vai dar muita grana no futuro. As células-tronco agradecem...