Ô Pai amado, quero não

Posted by Graciliano Santos | Posted in ,

0


Pra mim tem algo de errado
Quando um cabra alinhado
Que se diz abençoado
Pregador de nosso Pai
É caboclo endinheirado
Coronel de latifúndio
Dono de quase meio mundo
Enquanto o mundo e mais um resto
Morre caíndo de fome
Em sofrimento profundo
Em detrimento perverso

Será que estou enganado
Ou desaprendi a ler
Mas no livro mais sagrado
Nosso irmão Jesus amado
Sempre pregou o contrário
Do que eu vejo no Igrejado

A alegria de nosso Pai
A riqueza prometida
Não é a que brilha nos olhos
Ou a que engorda a barriga
Mas sim a que traz o sorriso do irmão
E por fim, garante a alegria da vida

Não me julge nobre colega
Doutor letrado no Estudo
Mestre na Teologia da Prosperidade
Conhecedor profundo do mundo
Mas minha reflexão
Vem de propósito emérito
De sentir um comichão
Sempre que vejo um crente
Pregar o amor cristão
Com cartão sem limite no bolso
E no banco mais de milhão

Em geral eu fico calado
Mas resolvi manifestar
Pois sendo meio torto
Tentando ficar mais reto
Na procura do caminho
De virar um bom cristão
Me dei de buscar igreja
Seguir uma religião
Mas já vi que o ditado
Antigo lá do nordeste
É que tem sabedoria
E acerta com precisão:

"Deus fez Universo e a Terra
Fez o homem, a água e o pão.
Mas quando deu amor aos homens
E impôs a condição, de amá-lo sobre tudo,
Sobre toda a criação.
O homem num egoísmo imenso
De ser o que ama mais certo
Num ensejo separatista, numa triste inversão do Verso
Lascou toda a beleza, loteou a criação
Privatizou até milagre, e por fim,
Pra institucionalizar a mazela, criou a religião."

mushin no shin

Posted by Graciliano Santos | Posted in ,

0


Uma das sensações que guardo com maior prazer é a de poder parar um pouco para descansar no meio de um dia pesado de trabalho na floresta. Tomar uns bons goles de água gelada para aliviar o calor, ficar em silêncio sem prestar atenção em nada específico e saber que ainda tem muito trabalho pela frente. Era uma ótima combinação da leveza do descanso e a tranquilidade de que estava fazendo o que precisava ser feito.

Esses dias essa sensação me revisitou, mesmo nessa rotina frenética e cansativa da vida urbana. Muito bom poder me sentir naquele momento bem simples e introspectivo novamente, me fez avaliar e compreender mais claramente aonde estou descansando nesse eterno dia de trabalho e tudo que venho fazendo nesse percurso. E nesses transes espaçados e bem contemplativos, compreendi um pouco melhor as atuais conseqüências de minhas escolhas, ficando muito feliz por me encontrar aonde estou.

Sei que existem muitas formas de passar por algo semelhante a isso, mas recomendo fortemente uma caminhada na floresta num dia bem ensolarado, com uma bela pausa perto de um igarapé bem gelado pra descansar os pés e molhar o rosto antes de continuar, é uma experiência ímpar.

Parabéns Mada

Posted by Graciliano Santos | Posted in

2


Muitas ideias
Muitos sentimentos
Diversos começos
Várias métricas
Para expressar
Tentar exprimir
Algo tão direto
E tão claro
Que é o amor
Que sinto por ti
E a alegria
Por estares
Ao meu lado

Minha parceira,
Minha família.

Feliz aniversário Giordana,
Te amo além

Lapidação

Posted by Graciliano Santos | Posted in ,

0


Peço leveza
E clareza
Para lidar
Com os pesos
Do coração
Que a mente
Nem sempre tem tempo (ou sabedoria)
Para resolver

0


Em um momento, num segundo
Me vi pai para sempre
Como se nunca, na verdade
O tivesse deixado de ser
E de nada valeram
Todos os avisos e instruções
Sobre fraldas e insônias
Nada é ruim como se pinta
Só é preciso atenção
E paciência para aprender
E aceitar tomar lição
De alguém que acabou de nascer


Bons ventos familiares

Posted by Graciliano Santos | Posted in

0


Quando o cotidiano
É uma batalha diária
É vestir a armadura
Todo dia ao sair do lar
E lutar com toda gana
Por guerras e ideais
Que já deixei de acreditar

Visitas alegres e gentis
Me trazem boas lembranças
Da beleza tão amorosa
Do mundo que existe lá fora
Beleza tal que só enxergava
Nos sorrisos e carinhos
Das duas belas mulheres
Que me acolhem ao anoitecer

Tudo que vemos por aí - pt.1

Posted by Graciliano Santos | Posted in

1

Hoje, voltando para casa, vi um cachorro morto, semi-imerso numa poça de lama com urubus disputando por seu corpo.

Interessante que, o marrom da lama que cobria o cachorro, com seu corpo semi-imerso na lama de um buraco da calçada, me davam a impressão poética da poça estar engolindo e absorvendo o corpo.

E que os urubus queriam impedir esse "curso correto do destino".

É, viagem da porra...

Novo Código Florestal e os Pesquisadores Brasileiros

Posted by Graciliano Santos

0


Com a aprovação desse novo código florestal, me pergunto muito qual o papel de nós pesquisadores em prol do desenvolvimento racional da sociedade. Um zilhão de artigos sobre a tal "Biologia da Conservação", falando dos diversos aspectos negativos desse uso indiscriminado dos recursos naturais e no final o governo dá essa lapada...

Tá na hora de revermos de forma significativa como atuamos na sociedade, como vamos manejar o repasse de informação para nossos "semelhantes" e como vamos traduzir isso de forma aplicável para a sociedade. Pesquisa científica é importante para geração de conhecimento, para desenvolvimento da nação, mas se não nos posicionarmos mais efetivamente e nos fizermos ouvir, ninguém vai.

Pesquisador que acha que só fazendo a pesquisa dele cumpre seu papel, está errado. Todo homem civilizado é responsável por influenciar em diversos setores da sociedade, diretamente e indiretamente, independente da classe social. Então, pra quem gera conhecimento e se importa, passou da hora de sair das nossas elocubrações teóricas buscando preencher lacunas significantes numa escala acadêmica, e buscar gerar conhecimento que resolva questões sociais, pois elas também são muito importantes para TODAS as áreas do conhecimento.

Todos nós somos seres políticos, quem escolhe se abster da política (política no sentido de relações humanas), talvez esteja praticando a maior forma de suicídio intelectual e moral que já vi.

Pax

Posted by Graciliano Santos | Posted in

0

O tempo passa

Histórias acabam
E outras começam
E o importante
Para todos nós
É seguir 
Sempre em frente
Buscando alegria
Que existe na paz
Da harmonia com o passado
Do equilíbrio no presente
E dos bons ventos futuros

Para todos, paz.

Feliz Dia das Mulheres

Posted by Graciliano Santos | Posted in

1


Da que consola
Da que sorri
Da que cuida
Da que batalha
Da que (nos) dá sermão
Da que alegra
Da que guia
Da que adivinha
Da que ama
Da que sempre
Mais dá do que recebe

Da mãe
Da esposa
Da namorada
Da mocinha
Da filha
Esse é o dia
De todas e de uma só
Feliz Dia da Mulher

Aceitas?

Posted by Graciliano Santos | Posted in

1


Sempre o dizer e agir
Sempre o respeitar
Sempre o carinho imenso
Sempre a coragem plena
Sempre o sorrir
Sempre o amar
É isso que posso te dar

O caminho

Posted by Graciliano Santos

1

Só existe paz quando encontramos o equilíbrio entre a mente, corpo e espírito.

A busca pelo fortalecimento dessa tríade nos iniciará no caminho da compreensão universal, mesmo que nossa percepção de Tudo seja extremamente limitada.

O cuidado com o corpo, o amor por todas as coisas e a busca pelo conhecimento devem ser os pilares de nossa vida na Terra.

Mas lembre-se, o corpo, a mente e o coração são instrumentos a nós dados para trilhar um caminho longo e desconhecido. Não ache que desenvolve-los é o objetivo em si, esse é o caminho confuso e tortuoso que grande parte de nós seguimos.

Cuide de si para cuidar de seus irmãos, cuide de seus irmãos para todos cuidarem do mundo, essa é a verdadeira lição.

Prólogo de nós

Posted by Graciliano Santos | Posted in ,

1


Ao me despir por completo
De tudo que me reveste
Sorriste, maternalmente
E me disseste:
- E agora, como posso não te amar?
E eu ainda constrangido
De meu exagero evidente
Sorri, te abracei
E sussurrei em teu ouvido
Que estava plantada a semente
Da árvore que vi crescer

Vila do Rock - Boas bandas, som a desejar (ou Como eu gostaria de ser técnico de som).

Posted by Graciliano Santos | Posted in

2


Hola pueblo, ontem rolou mais um dos shows organizados pela Vila do Rock. Eu fui pra ver o que tava rolando e fiquei meio frustrado, mas primeiro vou elogiar. Gostei muito de todos os shows, nas suas devidas propostas (de indie-mamonético até metal extremo) as bandas foram muito boas. Até o nosso colega de kilt (que divide os vocais com o Max, na banda Sloth) deu uma melhorada na técnica vocal e agora leva uma paradinha com as letras das músicas do Iron pra cantar, mas como alguém do blog já falou em tempos passados "Walkiria Lima nele!!". Fora isso, todos os músicos cumpriram seu papel muito bem, foi duca. E tá, tenho que citar a atuação muito muito boa do batera da Amatribo, que chamou a atenção geral.

Porém, dessa vez, a organização pecou marginalmente. Precisamos urgente de um técnico de som bom e o Vila do Rock precisa começar a investir em equipamentos de som. É foda ver uma banda como a Amatribo, que recentemente foi até elogiada pela Roadie Crew, com a guitarra líder num amp bixado sem potência, a guitarra base tão alta que dava microfonia, e isso tudo abafando o baixo, tornando o som bem diferente do que é realmente. Cobrar 10/15 conto no ingresso é um preço justo prum show, eu concordo, mas precisa dar retorno pra galera.

É isso modáfocás,
Até por aí.

Que assim seja

Posted by Graciliano Santos | Posted in ,

1

Com o pôr do sol
E o brotar da escuridão
Os acontecimentos que correm
Longe de meu curto olhar
Me imergem na espera
De que o melhor aconteça
Sem fazer idéia
Do que "o melhor" possa ser

Que Deus seja misericordioso com todos nós

Recife

Posted by Graciliano Santos | Posted in

1





Recife velha de guerra
Minha alegria é te reencontrar 
Mesmo que ligeiro
E te ver com o amor de pernambucano
Mas com olhar de um estrangeiro
Essas pequenas doses de ti
Me preenchem por inteiro

Dois, Zero e Doze

Posted by Graciliano Santos | Posted in

1


E o laço eterno se refez no amor
No suave suspiro, na alegre saudade
Gentis lembranças de tempos
Que já havia esquecido.

Senti o momento se romper
E com ele, a mortalha
Feita de antigos segredos
Costurada com meu sangue e meus medos.

Mas o Sol brilha para nós
E a chuva, acalma e refresca
Quem pode negar, diante de tanta beleza
Tanta vida pulsando no universo
Que seremos felizes para sempre?

1

Minha voz
Minhas palavras
Tudo se inibe e se curva
Diante de ti
E só meu olhar
E meu tolo sorriso
Conseguem esboçar
Todo o sentimento
E toda alegria
Que agora dominam
Meu peito que arde
Dessa vontade
E enorme saudade
De te ter.